fev 27, 2012
Eduardo Botelho

Efeito de Bohr e Haldene

Você provavelmente já leu em algum lugar, ou até mesmo ouviu alguém falar do tal efeito de Bohr. Já o Haldene, dificilmente. São processos simples de entender, mas complexos na maneira de atuar. Sem esses efeitos físico-químicos simplesmente não sobreviveríamos. Então, vamos entender o que é o efeito Bohr e Haldene.

Sabemos que a hemoglobina é formada pelos 4 grupos heme, que contém no seu centro o átomo de ferro, onde a molécula de oxigênio se liga.

O efeito de Bohr é a capacidade da hemoglobina de liberar mais oxigênio para os tecidos em pH baixo. Vamos entender isso na prática.

Pense numa hemácia carregando muito oxigênio, a fim de levá-los aos tecidos. Como ela sabe que tal célula necessita de oxigênio no exato momento? Através do efeito de Bohr. Lembre-se do conceito: a hemoglobina libera oxigênio quando o pH está baixo. E qual a principal razão de um pH baixo? Altos níveis de CO2. E de onde vem esse CO2? Do metabolismo das células. Portanto, quando células de um determinado tecido estão em plena atividade, liberam enormes quantidades de CO2. Esse gás será convertido em H⁺, através da enzima anidrase carbônica. Olha como é a reação:

CO2 + H2O   <―>   HCO3⁻ + H⁺

Grave essa reação, por que ela é importantíssima. Você irá vê-la várias vezes durante o curso. Ela é muito importante para o entendimento de equilíbrio ácido-básico.

Você percebeu que o CO2 se converteu em H⁺. E você sabe muito bem que altos níveis de H⁺ diminuem o pH. É nesse momento que entra o efeito Bohr, promovendo liberação de oxigênio às células famintas. A hemoglobina, ainda, tem afinidade mais baixa pelo oxigênio em pH baixo, facilitando o efeito.

Existe outro efeito, que é o inverso desse, chamado efeito de Haldene. O Efeito de Haldene é a capacidade da hemoglobina de liberar CO2 e H⁺ em locais com alta concentração de oxigênio. Esse efeito acontece o tempo todo nos capilares pulmonares. Vamos entender na prática.

A hemoglobina volta dos tecidos carregada de CO2 e H⁺, e se encaminha para os alvéolos pulmonares repletos de oxigênio. Quando essa hemoglobina passa no capilar desse alvéolo, ela rapidamente libera todo o CO2 e H⁺ que carrega, por conta do efeito de Haldene. Em contrapartida, se liga às moléculas de O2 que se difundem dos alvéolos para os capilares.

Ainda por cima, a ligação de O2 à hemoglobina provoca maior ligação de O2 à hemoglobina. Assim, as moléculas de hemoglobina que se ligam ao oxigênio desenvolvem maior afinidade pelo oxigênio. O resultado é que a hemoglobina sai do capilar pulmonar repleta de oxigênio, rumo aos tecidos.

Perceba como esses efeitos atuam em conjunto. E o que mais chama a atenção: a função e o real compromisso da hemácia em ajudar o próximo. Ela carrega oxigênio, a substância mais nobre do nosso organismo, com o único objetivo de doar. Depois disso, recebe o lixo metabólico das células e encaminha para a expulsão do corpo.

Se não houvesse o efeito Bohr, a hemoglobina nuca iria liberar o oxigênio para quem realmente precisa. O resultado é que rapidamente entraríamos em colapso por conta das inúmeras necroses que iriam ocorrer por todo nosso corpo. De semelhante modo, se o efeito de Haldene não existisse, a função dos alvéolos não serviria de nada. Iríamos respirar sem nenhum propósito. E rapidamente morreríamos de hipóxia.

Portanto, sempre tenha em mente a importância desses dois efeitos que atuam o tempo todo em nosso organismo. Abraços. Até a próxima.

4 Respostas

  • Ajudou demais. Obrigada!

  • Muito bom !

  • Muito bom!Vlw

  • Sem dúvida a explicação mais simples e que mais me ajudou, obrigada…..

Comentar